sábado, 22 de maio de 2010

Virada Cultural

Leia ouvindo: Sandra Rosa Madalena, de Sidney Magal (já vai saber porque).

Acordei e faltavam quatro horas para chegar em São Paulo. No mapa, o avião passava por Fortaleza - já no Brasil, se não me engano.

Dessa vez a ansiedade não apareceu para dizer "Oi", mesmo sendo lembrada, em segundos, que aquilo só era do conhecimento de uma pessoa: meu irmão mais velho.

Isso mesmo: decidi fazer surpresa e chegar repentinamente ao Brasil, dando-me de presente a minha mãe, principalmente, porque o Domingo que seguiria depois daquela Sexta-Feira e Sábado seria dela!

Foi emocionante o arriar das minhas malas, ainda que pudesse ver e rever pouquíssimas pessoas; afinal, o tempo se põe cada vez mais curto para emoções que despertam o prazer e a felicidade momentânea a cada abraço.

Assim, neste clima alegre, eufórico, surpreso, tomava fôlego a cada vez que alguém abria a boca, mas não muito, e falava algo como "ó. Uai. Como assim, gente?", particularmente mineiro!

O fim de semana veio com reunião familiar, muita comida boa, vinho e cerveja. A semana seguiu com afazeres burocráticos, dormidas sem compromisso depois do almoço, andanças pela cidade para se observar as mudanças e as continuidades, corridas ao ar livre, restaurantes, bares, jogos de futebol e, então, avião... .

Dali segui para São Paulo para tentar articular alterações para um futuro próximo e afirmar a certezade que a cidade, mesmo sendo "uma panela impermeável de concreto", me chama, me atrai e me joga na cara que temos muito o que fazer. As oportunidades estão ali, escancaradas, e a nossa leitura depende da compreensão daqueles que se disponibilizam a olhar com boa perspectiva.

Revi outras pessoas. Repassei o passado e vi que realmente passei dele. Que o presente é sim continuidade da semente plantada, mas o fruto é muito mais maduro do que a semeadura.
Admirei quase que como se fosse pela primeira vez a liberdade: a leveza de se ir-e-vir quando se quer e, em uma dessas saídas, caí na Estação da República, com a sensação de que tinha sido despejada em um grande centrão da Índia ou China, sei lá, devido a quantidade de pessoas que transitavam em direções iguais ou opostas a minha.

Estava ali porque assistiria a shows, à Virada Cultural de São Paulo. Minha ida caiu exatamente no fim de semana em que haveria apresentações gratuitas por 24 horas, a céu aberto. E eu, completamente linerar, fui virada, de fato: era show do Sidney Magal! Seria péssimo, mas foi ótimo. Muito engraçado e alegre e, entre amigos, não tem preço - mesmo!
Os dias passaram, não tão rápidos, mas o suficiente para ter conversas importantes, para dar outros abraços, comer pastéis, coxinhas, comida japonesa e tudo o que aparecia pela frente: anhac!

Tempo para rezar e agradecer: Amém!

Depois, entre uma madrugada e outra, fui para o Rio, fechar com chave de ouro essa ousadia toda em tentar me surpreender. Lá, mais do que qualquer outra coisa, fui assistir, me envolver, contribuir, para-com o 3o. Forum Internacional de Comunicação e Sustentabilidade: que preenchimento! Discussões e apresentações riquíssimas, com novos questionamentos e reflexões. Novos acessos. Novo compartilhamento de informação. De notícia. De direcionamento.

Tietagens à parte, é impressionante a sede que tenho de inspiração e de colocações como aquela. Em apenas um dia, veio tudo à tona novamente e, então, a releitura dos meus objetivos e caminhos.

Mas, sem pressa, o importante é continuar em frente, no compasso do momento. Do presente.

Falando em presente, não pude ficar o dia seguinte, para o encerramento do Fórum, porque precisava fechar o ciclo iniciado e voltar para BH. E foi um dia bom. Melhor ainda, por estar pronta para recomeçar, onde quer que seja, com o que quer que seja.

Os planos, à princípio traçados e tomados como verdade, não ficaram tão lineares assim. Sofreram turbulências durante o passeio. Passaremos por uma manutenção e recauchutagem, para definição do próximo destino a ser seguido.

7 comentários:

Nana Rangel disse...

E o melhor de TUDO, foi ter te visto e aproveitado o máximo de tudo!!! LOVE YOU!!! Demais da conta!
Super beijos,
Nana

Clarice Greco disse...

Não ACREDITO que eu tbm estava na virada cultural e não te vi!!! Eu não fui no Sidney Magal, mas se eu soubesse teria te caçado lá no meio das milhões de pessoas! Que pena!!! Mas que bom que sua experiência aqui foi boa. Fico na fila pra sua próxima aparição. Beijos!

Mila disse...

Sidney Magal! Jesus e eu estamos com saudades ! Boas reflexões e reparos :) beijjiiii

Jose Antonio disse...

grande barbara¡¡¡¡

Teca Camargo disse...

Adorei o japones... mas o melhor de tudo é perceber atraves desse texto, sua energia e alto astral novamente.... espero que continue assim!! lembre-se... como diz o bom Steven Tyler: "Life's a journey, not a destination...And I just can't tell just what tomorrow brings"

Babi Silva disse...

Aeeê xará... Bom perceber quantas boas coincidências ou "incidencias coordenadas" aconteceram durante sua visita ao Brasil...Também foi ótimo curtir um "happy hour" no velho e bom postinho com vocês...

Ótimas energias pra você!
Babi

Anônimo disse...

Adorei seu blog!

*Não adesão à nova regra gramatical.