quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Em 20 minutos tudo pode mudar

Costume. [ (...)Hábito. 4 Particularidade. 5 Moda. 6 Traje adequado ou característico: Costume de passeio. 7 Vestuário externo de homem. 8 Vestuário de mulher composto de casaco e saia. sm pl 1 Comportamento, procedimento. 2 Regras ou práticas que se observam nos diferentes países.].
Michaelis.
Estou sem medo e a ficha não caiu. Está tudo bem por aqui. Logo que cheguei conheci uma outra Jornalista - "Outra" porque eu sou também, para quem não sabe. E eu estava naquele humor infantil onde tudo que é novo é belo, mesmo quando os traços urbanísticos ao redor não indicam a beleza. Estava empolgada. Ela começou a falar do papel dela e dos desafios. Olhei a hora. Enquanto ela falava eu anotava, pensava, falava comigo mesmo, planejava. Até que ela começou a relatar o cotidiano e eu percebi que aqui não há (muita) análise crítica, que aceitam informações e que inexiste movimentos sociais, ONGs e entidades de classe, para a minha tristeza pessoal. Olhei a hora. Havia se passado 20 minutos.

Aí lembrei do slogan da BandNewsFM que aprendi a escutar em São Paulo durante o trajeto casa-metrô/trem-ônibus-trabalho: "Em 20 minutos tudo pode mudar". Eu sempre gostei da frase, mas nunca tinha efetivamente parado para pensar até que tudo mudou comigo.
Mudou porque o lugar não era mais um ponto no mapa e as pessoas não eram personagens. Aqui eu vivo um analfabetismo até mesmo sonoro. É impossível você tentar entender qualquer coisa. As placas não me dizem para onde estou e para onde a rua me leva. Dar a mão ao outro pode não ser um gesto gentil. Abraçar em público não é recomendado. Não se vê pessoas em traje de banho, volei ou futebol na praia, nem mesmo caminhada em calçadões. Nem mesmo calçadões, embora estejamos no litoral mediterrâneo, com um passo a molhar os pés no azul desconhecido. Mas este passo eu não dou, ainda. Trabalham seis dias por semana e o Domingo deles equivale a nossa sexta. Não há bebida alcóolica e nas festas se brinda com chá. Não tem arroz como o nosso e a carne pode ser de camelo. Aqui o legal da festa é quando as mulheres dançam com um vaso na cabeça. É o nosso chão-chão-chão. O desafio da flexibilidade. Família é o grande valor deles e, as crianças, o futuro respeitado.

Estou aprendendo tudo de novo. Falar, ouvir, entender, adaptar, aceitar, respeitar. Reaprender poderia ser um costume.
Shukran jazílan!

8 comentários:

Te disse...

muita coisa pode mudar em 20min... uma vida pode se acabar, outra pode nascer. se vc for pensar 20 min eh mto tempo =)
por isso q eu digo e repito: aproveite cada minuto! cada momento! essa experiencia vai ser unica!

saudades sempre
Te

carolina disse...

O primeiro de muitos posts que virão da Líbia!!!
As primeiras impressões ainda vão tomar alguns dias, e, a cada 20minutos, alguma coisa vai mudar dentro de vc!

Aproveite mesmo, cada minuto!
bjocas!

Mariana e Lorena disse...

Barbrãoooo! Aposto que está usando burca!!! hahahahah... Mande uma fotinha pra Lorenao aq! Juro que nao mostro pra ninguem!! Beijos e muuuuuita sorte pra vc ai, amiga! Quando for pra Bh mande um email mais de 1 mes antes pra eu comprar bastante cerva pra gente pra compensar esse tempo de jejum, hein?! Todos estamos te esperando!

Morgana G. Martins Krieger disse...

Oie!!!
Mto massa começar a ler seus posts. Continua vivendo cada 20 minutos da sua vida, sempre com a expectativa de que ela pode mudar pra melhor e também sempre atenta pra caso ela queira dar uma pioradinha :)

te cuida mulher!!

beijaaaaaaao

Dona Zefa disse...

Falaê, minha tchutchuca. Não sabia que você tinha um blog. Acaba de ganhar mais um assíduo leitor.

Tô indo lá na sua casa hoje, algum recado pra sua mãe, pro seu pai ou pro Felipe? Beijo na bunda, Vitor.

Marcelinho disse...

Tenho certeza que cada minuto vivido será de muito aprendizado e muita contribuição! Provavelmente eles ainda não perceberam o presente que ganharam ao ter você por aí! Aproveite fofa, e continue nos mantendo informado por aqui. Grande beijo, se cuide :)!

Gabiru disse...

aprender como criança na Líbia, sem esquecer da moça latina, brasileira, mineira, di beozonti que você é - isso que é o mais legal!

tomara q seus olhos de criança não se fechem babi! Bjao!

Lubianca da Motta disse...

Eu já sou da opinião cética do "mais 24 horas", cultura dos alcoólatras anônimos. O que não é tão derrotista porque ao mesmo tempo em que se dá graças a deus por se viver mais um dia plenamente, se tem o discernimento de que um passo deve ser dado de cada vez. Agora o teu passo é a Líbia, aceita e vê quantos metros, ou meses, da tua vida, ele percorrerá.

Tenho saudades tuas! Tu é uma chatona gritona muito legal! heuehuehu Te lembra aquele email que tu mandou no início da nossa gestão? Achei ele, e reencaminhei para o novo time!

Aquelas palavras repercutiram em toda a minha experiência, talvez também seja útil pra eles.

Bueno, tou comentando post antigo mas foda-se heuehueh provavelmente vou comentar todos! Em voz baixinha, talvez só um itálico :)

*Não adesão à nova regra gramatical.