sábado, 22 de agosto de 2009

"(...)Sim, são três letrinhas(...)"

1. [re]Quebrando Ovos
Lembrança
[1 Ato ou efeito de lembrar. 2 Coisa própria para ajudar a memória. 3 Memória. 4 Recordação que a memória conserva por certo tempo].

Isso de compartilhar pode ser engraçado e esta situação diária do suco me lembrou uma de quando morei em São Paulo, momento feliz, difícil, recompensador, mas sobretudo hilário! Desde as discussões, discórdias, até a dúvida para escolher o bar do happy hour, tudo terminava em riso ou choro,fruto de gargalhadas incontidas!

Dentre os momentos mais puxados, em que eu era a primeira a acordar e a última a dormir, correndo atrás do que deveria ser atingido, motivada pela paixão e crença naquilo em que fazia, acordei às 5:30, caminhei, de salto, por bons quarteirões, subi uma ladeira e cheguei ao ponto de ônibus. Depois, peguei mais um, logo ali que passei pela Paulista e fui até o Alphaville, fazer uma reunião. Voltei por volta das 10h e quase refiz o trajeto, com a diferença que fui a uma outra reunião no Villa Lobos e, ao fim da tarde, no Butatã.

Neste intervalo acho que estava com um pão-de-queijo (saudade), um café de copo-lagoinha (saudade) das típicas padocas de São Paulo (saudade) e talvez algum outro carboidrato no estômago.
Quase sem sentir os pés, chegando em casa, dentro do último ônibus, troquei o salto alto pelo chinelo de dedo e, ao parar no ponto, antes da ladeira ser descida, realizei a fome e pensei "Hm, paro na Padoca, tento um final de um self-service ou faço algo caseiro?". E foi quando eu pensei eu um omelete suculento, com pimentão e cebola, ou um sanduíche, não me lembro ao certo, mas era algo bem gordo (saudade) com ovo, delícia!

Andei os quarteirões só pensando no ritual de lavar as mãos, jogar a bolsa no sofá e quebrar os ovos. Quando abri a geladeira, cadê?? Gente, foi impulsivo e bem espontâneo, um grito só "Quem comeu meu ovoooooooooooo", ahahahaha, mais um episódio para deixar registrado!

Nisso, descem Naninha e Lora, desesperadas, achando que algo realmente grave tinha acontecido, até que a Nana assumiu a culpa do roubo fatídico - ó, drama! Terminei com um miojo, grande salvador, naquele mau-humor e cara emburrada, notoriamente dita "não falem comigo hoje!".

Entre essas e outras lembranças me pego pensando que compartilhar, mesmo que involuntariamente, tem lá seu valor e a interpretação depende muito de nós. Deve haver, quase que "somente", humor para se pré-dispor. E é por essas e outras buscas de energia, alegria e sentimentos em geral, que vou à Malásia, reaviver e re-ver!

2. Ho-Ho-Ho. Chegou o Ramadã!
E não é que a tecnologia acertou mais uma previsão? A Lua de quinta-feira chegou trazendo o início do nono mês do Calendário Lunar e, com ele, a continuidade da crença dos muçulmanos que celebra a revelação de Alá, feita a Maomé, que findou na transcrição dos primeiros versos do Alcorão.

Na cidade é absurda a mudança. A começar pelos enfeites por todos os lados, luzes pisca-pisca, supermercados lotados, trânsito mais infernal (ops) do que o habitual, corre-corre como se o mundo fosse acabar e todas as famílias estivessem a estocar toda a comida do país para o próximo "para sempre". Ho-ho-ho, é quase Natal!

Hoje, no trabalho, os líbios chegaram após as nove horas da manhã, em novo horário, como sinal de respeito nosso a eles, que trocam o dia pela noite e passam a madrugada comendo, comemorando com os familiares, após jejuar pelas longas horas sob luz do sol, até que se ponha, em sinergia com a última reza antes do início da "ceia".

Foi estranho entrar no restaurante e deparar com meia-dúzia de expatriados e encarar os líbios que nos serviam, em jejum, inclusive de água, há horas e que dali ficariam até a noite.

Engraçado que tudo isso por aqui não é uma opção. É simplesmente pelo fato de ser.

3. Quem fecha uma porta, abre uma janela
Estou influenciando diretamente a vida de pessoas, quando as digo "sim, está aprovado para vir" ou "não, mantemos contato para futuras oportunidades".
Isso tem sido muito sério, como foi e tem sido comigo mesma. E aí também não é necessariamente uma opção.

Escolha [Ato ou efeito de escolher; seleção, classificação. 2 Aquilo que se escolhe. 3 Discernimento (...)].
Michaelis.

Sim ou não? São três letrinhas...

4 comentários:

Ra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ra disse...

Babes, não é solução pro Suco nem pro Ovo, mas já pode ser um começo, ou pelo menos inspirador! rsrs
http://www.tomcomunicacao.com.br/?p=2778

Rapha

Dani Barbosa disse...

Guria vc é top demais!Seu blog é muito legal, confesso que não tenho muita paciência pra navegar por eles, mas o seu vale muito a pena mesmo, parada obrigatória!
Aproveite a Malásia por nós que ficamos aqui morrendo de vontade!
Beijos
Dani

Te disse...

hahahahh eu mto lembro de quando a Naninha roubou seu ovo!!!

parada na Malásia! Acho que isso vai te ajudar a aumentar os animos!! Uma injeção de aiesec, mesmo que seja só festa e rever amigos, sempre é mto bom!!!

curta lá!!
bjãp

*Não adesão à nova regra gramatical.